terça-feira, 25 de julho de 2017

Resenha - Sturmtiger - World at War 1914-1918 (2014)



Grande banda de Death/black metal originalmente formada na Dinamarca e atualmente no estão no Reino Unido, dedicado aos fãs do velho Death/black metal do começo dos anos 90 para fãs de bandas como Bolt Thrower, Blasphemy, Archgoat, Beherit, Impaled Nazarene, Sarcófago, VON, Profanatica.

Com sua temática voltada para a primeira guerra mundial,  são 7 faixas de apocalipse sonoro, trilha sonora perfeita para o fim do mundo, muito peso nas guitarras e passagens rápidas marcam o ritmo desse glorioso opus.



Bateria muito orgânica e direta sem efeitos ou superprodução, com aquele grave característico da velha escola, vocal gutural poderoso, produção cavernosa, atmosfera obscura, mórbida e caótica, extremamente recomendável se você for uma maníaco do metal extremo old school, um dos melhores álbuns lançados no ano de 2014 com certeza.

Para adquirir esse grande album, entre em contato diretamente com a banda, através do e-mail:
honserov@yahoo.dk









sábado, 15 de julho de 2017

Entrevista - Ordo Caper (Costa Rica)

Banda insana e infernal, nos moldes Bestiais Sul-Americanos de fazer musica extrema, confira a entrevista que fizemos com a banda Ordo Caper (Costa Rica)



Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Ordo Caper e quais são os planos para o futuro?

Alcazar: Olá, sikk mother fukkers! Fico feliz por estar aqui! 2016 foi o nosso ano mais ativo, lançamento sábio, mesmo que a maior parte do lançamento seja lançado em 2017, muitos contatos, principalmente selos e zines, o que ajudou muito a desenvolver os objetivos da banda.
Nosso plano deste 2017 é gravar nosso 1º álbum completo, e estamos procurando os contatos corretos para nos levar ao Peru, Chile e Brasil para fazer turnês.



Quais são suas principais influências musicais?

Alcazar: Bem, há bandas de todos os estilos, do punk / rock and roll, stoner para o Death / Black Metal mais pesado, alguns supervalorizados, alguns subestimados, geralmente aqueles subestimados são os que gostamos o melhor, mas existem algumas exceções como tudo , Então bandas, com certeza podemos mencionar, Sadistik Exekution, Bathory, Black Witchery, Sarcofago, Obeisance, Chakal, mas, sinceramente, fazemos a nossa própria musica, odiamos cópias! Então, qualquer pessoa que lê isso querendo ouvir Ordo Caper e esperando um norse core ou um som de hip black metal pode esquecer! Ordo Caper é para o Real Extremista da maioria da música Bestial.



Como tem sido a recepção de "Promo 2015" mundo afora?

Alcazar: Promo 2015 não é nada além de uma promo, não foi lançado profissionalmente, então, para os interessados, é melhor você conseguir o split Ordo Caper / ROK (Sadistik Exekution) proveniente da Headsplit Records, também Neyra estará lançando isso com Australian Holocaust em CD ou Anal Vomit / Ordo Caper split em fita cassette da Dunkelheit Productions Germany, também de Bestial Burst Records em CD e Vinyl Mids 2017. Também Ordo Caper / Obeisance split, que CD e Tape estão agora no México e Portugal com os selos AhPuch e Signal Rex. Além disso, também estamos lançando o nosso mais novo EP (Sadistik Goat Command) com o mais exclusivo e extremo do novo Arsenal latino-americano Ordo Caper, então se esqueça da promoção 2015 hahaha!


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Alcazar: Bem, as mencionadas anteriormente, houve algumas novas bandas nas quais estamos interessados, como algumas bandas chilenas, também o Brasil tem algumas coisas boas, é difícil mencionar as bandas desde que é para muitos e não me concentro em Uma banda específica, mas ultimamente procuramos bandas sul-americanas, o que não significa que não estamos nos conectando com bandas de outras latitudes.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Alcazar: MAGIK - a maioria das nossas melhores músicas e obras vem depois dos Rituais feitos com um propósito específico, além das bandas que ouvimos e da barulho que fazemos! A inspiração é natural.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Alcazar: Obrigado pelo seu apoio, nunca pare a loucura! Compre Ordo Caper para seus irmãos e enlouqueça-os!











Entrevista - Come Back From The Dead (Espanha)

Metal da morte cavernoso, podre e sujo diretamente da Espanha bem aos moldes das bandas Suecas do começo dos anos 90, confira a entrevista que fizemos com a banda Come Back From The Dead.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Come Back From the Dead e quais são os planos para o futuro?

Paul: Apenas um alguns rituais para comer pessoas vivas foram detonados em 2016 e um punhado de canções foram gravadas para o nosso novo lançamento "Caro Data Vermibus", que verá a luz do dia durante o ano de 2017 pelas mãos da Abstract Emotions e The bloody Mono Canibal Records.. Abril de 2017 é o prazo para colocar este projeto em vinil 10 ". Transcending Obscurity irá lançá-lo em CD e digital mais tarde. Alguns shows na cripta espanhola já estão reservados, uma turnê européia durante o mês de outubro está em mente e nós começamos a decompor novas músicas para o nosso segundo álbum, nosso principal objetivo este ano para que mais som da velha escola do metal da morte apareça.


Quais são suas principais influências musicais?

Paul: Rock clássico, hard rock, heavy metal e, com certeza, o death metal da velha escola, especialmente a cena da Flórida e da Suécia, juntamente com as bandas genuínas de punk, thrash, grindcore e black metal que nos ajudam a odiar tudo ainda mais.





Como tem sido a recepção de "The Coffin Earth's Entrails" mundo afora?

Paul: Estamos no underground, não sabemos o que acontece na superfície. O The Coffin Earth's Entrails é uma lápide mais para este maldito mundo do cemitério e seremos enterrados em um lugar maldito esperando para ser lançado.


Como tem sido a parceria com o selo "Black Seed Productions"?

Paul: A semente foi plantada, mas não germinou. Ainda estamos à procura de muitas respostas, de qualquer outra forma, com qualquer valor para nós agora ... continuamos por nosso próprio caminho para a Terra interior.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Paul: Nós somos uma nova banda e sabemos as dificuldades para conseguir um buraco maldito entre os discos que as pessoas devem tocar malditamente. Na verdade, não gostamos de tantas bandas novas, gostaríamos de fazê-lo, mas a cena do mundo inteiro é muito vasta, sem medida. Nós sempre tentamos encontrar mais e mais bandas, é verdade, mas preferimos as antigas, os antigos sons podres também em bandas novas também, profanaram túmulos sem nomes. As bandas cujos membros estão mortos, mas durante o seu estrelato alimentaram a matéria negra e ficaram com frio no esquecimento, oramos para ouvir esse tipo de bandas, pois eles são a amarga bússola da morte que adoramos.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Paul: Minha inspiração ... tudo o que é desconhecido é o que me motiva a escrever. Leio o que eu nunca li, combino palavras que nunca combinei para nomear o inominável e descrevo o que nunca experimentei, o que nunca vi, o que nunca vi e nunca transmiti. Escrever é um presente amaldiçoado, que faz com quem lê gracioso, mas condena o escritor em uma morte sinestésica.


Muito obrigado pela entrevista deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Paul: Curta o nosso som em: https://comebackfromdede.bandcamp.com

Para uma Tour no Brasil, escreva-nos para: comebackfromthedead@gmail.com


Obrigado também e Rise the Dead !!!










NervoChaos: na compilação ‘Cova de Sangue – Vol 1’



O NERVOCHAOS abre a primeira edição da compilação ‘Cova de Sangue’, organizada pelo site e webradio Cangaço Rock.

A banda participa com a música ‘Ad Maiorem Satanae Gloriam!’, do álbum ‘Nyctophilia’. Também participam bandas como As Dramatic Homage, Gestos Grosseiros, Yekun, Dysnomia, Lacerated And Carbonized e muitos outros nomes.



O download da compilação é gratuito e pode ser feito pelo link:
http://www.cangacoradiorock.com.br/2017/05/coletanea-cova-de-sangue-volume-i_25.html

Recentemente o NERVOCHAOS lançou dois videoclipes retirados do álbum:

‘Ritualistic’, aonde a banda utiliza a tecnologia de filmagem em 360 graus. A direção ficou nas mãos de Angelo Rodrigues e Jackson Kleber, a filmagem e edição pela Adonai Filmes, fotografia por Victor Ponce, direção de arte por Lu Bueno e colorização por Marcelo Cosme. Assista:

Facebook: https://www.facebook.com/NervoChaos/videos/10155222247294645/

YouTube:




Ad Maiorem Satanae Gloriam’, que contou com a ilustre presença de Jão, um dos fundadores do Ratos de Porão interpretando um padre.

Facebook: https://www.facebook.com/NervoChaos/videos/10155174153974645/

Youtube:





O NERVOCHAOS acaba de ter uma entrevista em vídeo publicada pelo site site Força Metal BR, assista:

https://www.facebook.com/ForcaMetalBR/videos/265578353849231/

Contato: nervo666@hotmail.com

Sites Relacionados:
www.nervochaos.net
www.facebook.com/NervoChaos
www.metalmedia.com.br/nervochaos

Fonte: Metal Media








MIGHT EXECUTION: debut álbum será lançado no Brasil pela Eternal Hatred Records



A banda paulista MIGHT EXECUTION confirmou que o formato físico do seu debut álbum, intitulado “Sceptic & Controversial”, tem o seu lançamento físico confirmado para o segundo semestre de 2017, através da Eternal Hatred Records, com distribuição da Voice Music.

Em paralelo, o MIGHT EXECUTION continua agendando datas pelo Brasil em suporte ao seu vindouro debut álbum, “Sceptic & Controversial”. Para mais informações sobre como reservar uma data para qualquer cidade do país, basta entrar em contato através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Para mais informações sobre as atividades da banda MIGHT EXECUTION e demais artistas da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.








quarta-feira, 12 de julho de 2017

Entrevista - Versifist (Canada)

Obscura banda canadense, com sua sonoridade apocalíptica e cheia de ódio, confira a entrevista que fizemos com a horda Versifist.



Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Versifist e quais são os planos para o futuro?

Versifist: Agora, o Versifist está escrevendo o nosso primeiro álbum completo. Nosso processo de escrita é muito lento, pois os membros individuais estão ocupados com outras bandas e a vida em geral. Temos cerca de 4 músicas escritas agora, então estamos no meio do caminho.


Quais são suas principais influências musicais?

Versifist: Mercyful Fate, Motorhead, Blasphemy, Von, Bathory, Sadistik Execution, Mayhem.



Como tem sido a recepção "Cipher" mundo afora?

Versifist: Ao redor do mundo? Não tenho certeza. Lemos alguns comentários que foram "positivos". Posso lhe dizer o impacto que teve sobre nós, o que é que a mágica contida nessas músicas e as embalagens e a produção são as melhores que eu já estive presente. Eu acho que é alto contra a maioria do que passa como metal nos dias de hoje. Eu direi que eu tinha uma visão de ser um som mais sujo do que acabou. Mas sentimos que "sujar isso" de propósito seria falso.


Como tem sido a parceria com o selo "Vault of Dried Bones"?

Versifist: Nós conhecemos Peter há anos antes de começar a Vault. Nós tocamos em bandas juntos, etc. Quando se mudou para Toronto e começamos o Versifist, sabíamos que trabalharíamos com o Vault of Dried Bones. Ele é muito dedicado à causa "Total Death" e investe em bandas, gravações e layouts de qualidade. Ele tem grande visão e ouvido para todas as coisas envolvidas e não se conforma com "bom o suficiente". Um verdadeiro guerreiro !!


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Versifist: Eu não escuto coisas novas demais. Os poucos "mais novos" que eu ouço seria Cultes Des Ghoules, Bolzer and MGLA.  A maioria das bandas que eu ouço são clássicos como Mercyful Fate, Grand Belial's Key e Metallica.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Versifist: Tópicos diferentes o tempo todo, o caminho da mão esquerda (e meu respeito por isso), pesadelos / visões, esmagando a oposição mental fraca. Eu não vejo nenhum assunto sendo tabu ou fora dos limites. Dito isto, sempre passamos assuntos "mais obscuros". É sempre um desafio fazê-lo de uma maneira que não foi feita antes, mas nós o conseguimos eventualmente.











terça-feira, 11 de julho de 2017

Entrevista - Extirpation (Espanha)

Bandas que tem propostas musicais totalmente descompromissadas com qualquer porcaria de moda ou tendência são aquelas que tem todo o meu respeito, musica feita para satisfazer o próprio compositor, death/black impiedoso diretamente da Espanha, para aqueles que sentem falta da verdadeira atitude underground do começo dos anos 90, confira a entrevista que fizemos com a horda Extirpation.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a horda Extirpation e quais são os projetos para o futuro?

Skullcrushed: Salve! Obrigado pela entrevista e apoio.
Tudo correu bem, estava ensaiando e gravando novas músicas aqui em Euskal Herria
Eu estou trabalhando em um novo split . Estará pronto em 2017.


Quais são suas principais influências musicais?

Skullcrushed: Old School Brutal death, black metal, grind, noise! 



Como tem sido a recepção de "Jatorri" mundo afora?

Skullcrushed: Jatorri foi limitado a 100 CDs. Estou totalmente satisfeito com o meu trabalho, o trabalho mais brutal que eu acho!


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Skullcrushed: Apenas ouço death metal, brutal death, black ou grind old school. Eu não estou atento as novas bandas. Eu odeio mainstream e posers !!! Estou entediado para ver novas bandas sem qualquer atitude underground.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Skullcrushed: Paganismo basco, ocultismo, anti-cristianismo, anti-islamismo.
Até a erradicação total das religiões invasivas em Euskal Herria.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Skullcrushed: Obrigado, você sabe como você está !!!!
Pessoas interessadas em coisas do Extirpation escrevam por favor para vomitgod6969@gmail.com













segunda-feira, 10 de julho de 2017

Entrevista - Khanus (Finlandia)

Trilha sonora de uma grande viagem espiritual para caminhos e lugares mais profundos da alma humana, confira a entrevista que fizemos com essa grande banda de death metal da Finlândia chamada Khanus.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-lo, como foi o ano de 2016 para a banda Khanus e quais são os planos para o futuro?

Sovereign:  Saudações para você e para seus leitores. 2016 foi um grande ano e melhorou ainda mais quando finalizamos e lançamos o nosso EP "Rites of Fire", nosso primeiro álbum completo - para fazer uma divulgação adequada mundo a fora.


Quais são suas principais influências musicais?

Sovereign: A inspiração original vem da vida, da natureza e do desconhecido. A sede de conhecimento que eu uso e desenvolvo ao máximo das minhas habilidades para "Shamanic Metal of Death". Eu escuto muitas bandas novas e legais diariamente e, quando encontro algo inspirador, compro suas coisas e sugiro sua visão do Desconhecido, mas no final do dia eu sigo meu coração e intuição sobre o que o Khanus é e deve ser.



Como tem sido a recepção de "Rites of Fire" mundo afora?

Sovereign: Bem recebido, embora você não possa agradar a todos - Khanus não é para todos. Esgotamos a edição da fita cassette, a I,Voidhanger lançou uma linda edição da Digipak em CD e conseguimos publicar um esplêndido design de camiseta, que é para baixo para durar três cópias atualmente. Algumas almas entendem muito bem o que estamos tentando alcançar aqui e ressoam bem com a nossa produção, uma dessas almas anula todas as críticas negativas que poderiam ter estado por aí.


Como tem sido a parceria com o selo "I, Voidhanger Records" ?

Sovereign: Desde o primeiro e-mail que recebi de Luciano, sabia que é aqui que nos pertencemos. Ele é muito bom no que ele faz e compartilha minha paixão por Khanus. Ele cuida bem do lado comercial e podemos nos concentrar no lado criativo. Além disso, há uma infinidade de grandes bandas em sua lista, então estamos orgulhosos de estar entre eles.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Sovereign: Eu gosto de muitas coisas diferentes, do lado do metal, muitos dos meus favoritos pessoais residem na lista da I, Voidhanger com excelentes lançamentos recentemente de Howls of Ebb, Mare Cognitum, Bloodway, Skaphe, Ecferus  etc. e fora do selo que eu tenho Recentemente comprei praticamente tudo o que Dodsengel lançou, alguns Hetroertzen, Elysian Blaze, Virus, Execration (Nor), Bölzer, Sinmara, Zhrine, etc. A Islândia parece produzir uma miríade de grandes bandas hoje em dia e da França aproveitei mais bandas de metal Avantgarde Como , Spektr, Smohalla, Igorrrr, Pryapisme, Stagnant waters etc.


Quais as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Sovereign: Eu leio muito, cada vez que leio algo realmente fascinante, levo minhas próprias anotações sobre o assunto e talvez estude mais um pouco e, geralmente, depois de compor uma nova musica do Khanus, eu toco minhas anotações e vejo se há algo que se encaixa no humor Da música. Em casos raros, eu primeiro escolho um assunto ou texto e depois começo a compor, mas geralmente é o contrário. No entanto, toda vez que o tópico é de interesse pessoal para mim e, portanto, Khanus é um reflexo de mim como um ser / espírito soberano.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Sovereign: EU SOU, SOMOS - vamos entender a nós mesmos e ao Multiverso.
Sovereign.

https://www.facebook.com/khanusband/










sábado, 8 de julho de 2017

Entrevista - Neter (Espanha)

A banda espanhola com maior sonoridade polonesa que eu já ouvi até hoje, para fãs de Behemoth, Vader e Decapitated, banda com musicalidade forte e personalidade, com certeza se destacarão no cenário extremo nos próximos anos, confira a entrevista que fizemos com a banda Neter.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Neter e quais são os planos para o futuro?

Neter: Obrigado por nos fazer a entrevista e saudações aos leitores do blog. Estamos sempre satisfeitos em responder às suas perguntas.
Após o lançamento de "Idols", estamos viajando pela Espanha por quase um ano, incluindo o início de 2016, mas agora estamos nos concentrando em nosso próximo álbum. Para este novo álbum, queríamos envolver toda a banda no processo de composição, e estamos muito entusiasmados com o resultado. Nós já escrevemos 6 músicas e ainda temos material para mais algumas. Tudo está acontecendo muito rápido e estamos entrando no estúdio no próximo ano, então esperamos que possamos anunciar a data de lançamento em breve.



Quais são suas principais influências musicais?


Neter: Cada um de nós tem diferentes gostos, mas você pode ver uma influência clara em nossa música de bandas como Behemoth, Decapitated, Hate Eternal, Vader ou Nile. Os revisores nos comparam com muitas bandas, mas achamos que é um bom sinal, já que não somos muito semelhantes a eles. Não pretendemos reinventar o gênero, mas tampouco ser uma cópia de algo que já foi feito. Trabalhamos arduamente para ter nossa própria marca registrada e para nos diferenciar do resto, e isso não é fácil ter tantas bandas por aí. De qualquer forma, como referência, se você gosta das bandas mencionadas acima, você pode gostar da nossa música.




Como tem sido a recepção de "Idols" mundo afora?

Neter: Honestamente, não esperávamos que chegássemos tão longe e é incrível pensar que nossa música está sendo ouvida em tantos países. Recebemos mensagens de várias pessoas em várias partes sociais, e nós estamos muito agradecidos por isso.
Nós fizemos um grande esforço para promover "Idols" em todo o mundo, e essa é uma das razões pelas quais decidimos trabalhar com selos estrangeiros. A maioria dos nossos fãs é da Europa e da América, mas trabalhar com um selo russo tem sido uma ajuda muito importante para promover o álbum na Ásia. Nós não sabíamos que havia tantos fãs de death metal neste continente, e nunca imaginamos que iremos vender discos em países como Índia ou Cingapura.


Como tem sido a parceria com o selo "Metallic Media"?

Neter: Para a lançamento de Idols, trabalhamos com três selos: Metallic Media (EUA), Black Plague Records (EUA) e Satanath Records (Rússia). Nunca tínhamos tentado um co-lançamento antes, então tivemos muitas dúvidas sobre isso, mas o resultado excedeu as nossas expectativas. Estávamos preocupados com a comunicação entre os selos e nós, mas eles já haviam trabalhado juntos no passado e isso facilitou tudo. O tratamento e o trabalho que promovem o álbum também foram excelentes, por isso não descartamos trabalhar com eles novamente no futuro.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Neter: Na cena extrema do metal, poderíamos dar-lhe uma lista muito extensa de bandas, mas se tivermos que destacar algumas delas, diria, em primeiro lugar, as bandas que influenciam a nossa música. Como já falei antes, eu me referi a Behemoth, Nile, Decapitated, Hate Eternal e Vader. Nós também incluímos outras bandas que não influenciam muito nossa música, mas ainda assim o fazem de alguma forma. Quero dizer, bandas como Suffocation, Morbid Angel, Deicide, Hate e Fleshgod Apocalypse. Por outro lado, nós não só escutamos música de metal extremo, então não podemos esquecer bandas como Slayer, Gojira, Devin Townsend, Ihsahn e Ghost.


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Neter: Vendo as capas de nossos dois álbuns lhe dará algumas pistas sobre os tópicos de nossas músicas. Nós escrevemos sobre o declínio da sociedade e do mundo em que vivemos. Esse é o assunto principal, mas usamos diferentes abordagens porque preferimos usar metáforas e símiles do que dizer explicitamente. Por exemplo, as letras Idols comparam o que está acontecendo hoje com o colapso da civilização Rapa Nui na Ilha de Páscoa. Se você olha para trás a história, você encontra muitos exemplos de civilização com os mesmos erros que cometem hoje, e usamos esses exemplos como inspiração para nossas letras.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Neter: Queremos agradecer-lhe novamente por esta entrevista e por nos ajudar a promover a nossa música. Também queremos agradecer aos nossos fãs pelo apoio que estamos recebendo, e não podemos esperar para mostrar todo o novo material que estamos compondo. Vamos anunciar algumas boas notícias em breve, juntamente com as datas dos últimos shows desta tour Idols, então fique atento à nossa página do Facebook.











sexta-feira, 7 de julho de 2017

Entrevista - Wojczech (Alemanha)

Entrevistamos uma das bandas mais barulhentas e insanas do Grind Alemão, confira a entrevista que fizemos com a banda Wojczech:



Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Wojczech e quais são os planos para o futuro?

Stephan: Muito obrigado por mostrar interesse em nossa banda. Wojczech recentemente fez algumas pequenas turnês na primavera de 2016 na Alemanha e no tcheco com foda os fatos e a Inglaterra com Krupskaya. Nós gravamos um novo álbum também agora em estágios de mixagem. Além disso, um split 7 EP  com o Social Chaos e um split lp com Krupskaya estão em transição, ambos para ser completados por 2017 ainda. A próxima série de shows será no outono para se juntar a Weekend Nachos, The Afternoon Gentleman e Homewrecker  no festival de Plus Bloodshed Eurotour, Holanda e o Lawless Darkness Fest em Dresden. Vamos tocar no festival Netherlands Deathfest em março de 2017 e fazer um pouco mais de tours na Europa com o Attack of The Mad Axeman  em apoio ao nosso novo álbum.


Quais são suas principais influências musicais?

Stephan: Bem, todos os gostos são muito diferentes, mas, novamente, todos estão possuídos de música. Linhas comuns para esta banda são as bandas que ouvimos, crescemos com as bandas de grindcore da 1 ª onda como Repulsion ou Assück, Discordance Axis, thrash metal alemão antigo. Estamos executando a banda desde 1995, tendo tocado mesmo antes disso em bandas juntas. Então, vemos bandas ir e vir. Mas o acima mencionado permanece inspirando.



Como tem sido a recepção de "Pulsus Letalis" mundo afora?

Stephan: O disco é de 2010 e a recepção foi boa! Nós fizemos algumas excursões sobre este disco naquela epoca. Nós apenas lançamos albuns completos cada 5-6 anos. Nós não queremos fazê-lo e também as músicas têm que ser moldadas muito, tocando ao vivo o máximo possível muitas vezes antes de gravá-las. Pulus Letalis apresentou um período mais orientado ao thrash de nós e devido à produção de Harris Johns / Musiclab soa assim.
Soa diferente agora.


Como tem sido a parceria com o selo "Selfmadegod Records"?

Stephan: Realmente gostamos da Selfmadegod, de sua dedicação e esforço direto e ética do trabalho. Ele ajudou muito na promoção da banda com os lançamentos de cd de "Sedimente" (2005) e "pulsus letalis" (2010). No entanto, nos separamos uns dos outros, o que está bem conosco. Está tudo bem no meu livro para avançar com diferentes lançamentos e parcerias diferentes!

Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Stephan: Falando sobre o grind, existem muitas bandas no mundo! Ash Mouth da Austrália é minha favorita, espero fazer um split com eles em breve! Se você está no euro grind / pv, então The Afternoon Gentleman e Nothing Clean, ambos do Reino Unido fazem isso por mim! Euro metal / grind é enorme também, então amigos de longa data do Attack of The Mad Axeman, Keitzer, Cyness e Krupskaya  são todas as bandas que eu posso recomendar para você verificar!


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Stephan: As letras são trazidas espontaneamente e por todos nós. Na geral, não é algo misantrópico. Balançamos muito bem o nosso próprio senso de humor dentro de nossas palavras e frases. Muito situacional. Recentemente fizemos uma música primitiva de metal / punk / metal cru e colocamos as melhores letras de atitude mental positivas, como o juiz. Para resumir: juntamos tudo o que desejamos.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Stephan: Ei continue bem com seu blog e dedicação ao grindcore! Para nós é uma coisa da vida! Aqui estão alguns links da banda:

Video da Tour Brasileira de 2014

Wojczech.bandcamp.com

sensitivewormrile.blogspot.de




Também todos temos outras bandas. Somos totalizadores de som totais! Danilo está no Entrails Massacre, e está no Whos My Saviour, Heinz está em Cynes e confusion master  e eu estou em bad Luck Rides on Wheels e  Confusion Master  também. É barulhento, barulhento, lento ou rápido!

Confira os links abaixo:

Entrails Massacre

Whos my Saviour
whosmysaviour.blogspot.com/

Cyness

Bad Luck Rides on Wheels

Confusion Master














quinta-feira, 6 de julho de 2017

Entrevista - Croix Mortis (Peru)

A coletânea Warfare Noise, discos como INRI do Sarcófago e Bloody Vengeance do Vulcano, continuam a influenciar malignas hordas mundo afora, principalmente no nosso continente Sul-Americano, confira a entrevista que fizemos com a horda Croix Mortis.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Croix Mortis e quais são os planos para o futuro?

Mysticon: Também é uma honra para nós, saudações a todos os Warmaniacs brasileiros e sua poderosa cena ... Hoje, estamos trabalhando para lançar nossa segunda demo e nossos planos imediatos são gravar mais hinos de guerra, para Estes anos de silêncio ... Pegue suas almas negras para o holocausto total black metal !!!


Quais são suas principais influências musicais?

Mysticon: As principais influências para nós, é o metal underground mais extremo, principalmente a influência sul-americana dos anos 80, por exemplo: Sarcófago, Sepultura, Mutilador, Vulcano, Holocausto, Reencarnacion, Nekromantie, Parabellum, Hadez, Mortem ... e bandas antigas de todo o mundo : Mayhem, Darkthrone, Mantas, Kat, Fantom, Bestial Summoning, Obscurity, Von, Euronymous, Absu, Imperator, Abhorer, ..... etc.




Como tem sido a recepção de "Ignis" mundo afora?

Mysticon: Este primeiro opus, ainda nos dá boas notícias em todo o mundo, talvez seja uma primeira fita demo pobre, por isso, estamos pensando em lançar uma nova edição mais profissional, depois de vomitar a segunda demo, você terá mais notícias sobre as nossas Produções ... .Ignis Natura Renovatur Integram ... (INRI) estará infectando mais lugares ao redor do fodido mundo !!!


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Mysticon: Na verdade, nós apreciamos muito boas e novas bandas de merda na América do Sul, que apareceram, por exemplo, aqui no Peru, estamos ouvindo: Grave Desecration, Evil Spectrum, Cadaver, Obscure Evil, Morbidus, Sepelio, Necrovomit, Evil Priest ... na América do Sul , Nós temos, Impaler of Pest, Black Communion, Nekromanteion, Masturbacion Cristiana, Aqueronte, Grave Reaper, Carrasco, Necrocifer, Mighty Goat Obscenity, Perlokus, Mausoleum...


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Mysticon: Nós nos inspiramos nos temas de misticismo, ocultismo, bruxaria, satanismo e natureza em geral, também tentamos prevalecer nossa origem ancestral, do legado do inkas e algumas partes de nossas letras mágicas em todos os nossos hinos de guerra.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Mysticon: Hail camarada e 618 obrigados pelo apoio à nossa horda, estamos em guerra, nesta parte do mundo ... ... muito logo mais notícias de Croix Mortis, deixamos uma puta saudação a todos os guerreiros em todas as partes dessa merda de Mundo: culto total ao extremo war black metal underground... ... A guerra acaba de começar !!!

https://soundcloud.com/destruktor-records/croix-mortis-sudaca-warmaniacs










quarta-feira, 5 de julho de 2017

Entrevista - Cursus Bellum (Suécia)

Das sombrias e frias terras da Suécia, vem esta grande banda chamada Cursus Bellum, mais um grande representante do metal da morte escandinavo, confira a entrevista abaixo.



Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Cursus Bellum e quais são os planos para o futuro?

Cursus Bellum: Obrigado pelo interesse em nós e na nossa música.
Bem além do lançamento de "Accusing The Dead" no início deste ano, gastamos principalmente nosso tempo escrevendo e ensaiando novos materiais. Acho que estamos atualmente em um período de inspiração produtiva. Nós tentamos capturar isso enquanto "no fluxo", por assim dizer. Ficamos muito felizes com o resultado e o som do MCD lançado e acho que é isso que ainda nos inspira a fazer mais coisas. Com isso dito, acho que revelamos alguns dos nossos próximos planos. Talvez ele acabe em um álbum completo. Veremos.
Entretanto, estamos no processo de montagem de uma formação ao vivo da banda. Como você pode saber, somos apenas duas pessoas, mas estamos definitivamente com a intenção de reunir mais músicos para poder viver a nossa causa musical.


Quais são suas principais influências musicais?

Cursus Bellum: Bem, o conteúdo da gravação Accusing The Dead é o resultado do último, digamos dois anos dos dois membros da banda (Anders & Jocke) ensaiando e compondo juntos em um porão tipicamente bastante frio nos campos ventosos do sul da Suécia. O resultado do processo criativo entre nós dois provavelmente reflete nossas preferências musicais pessoais perturbadas para o death metal dissonante e poderoso.
Refletido em nossa música é provavelmente que ambos temos paixão pela brutalidade do death metal americano baseado de preferência combinado com a desonancia canadense e o caos e a escuridão escandinavos. Digamos que o Immolation combinado com 1349 e o Dead Congregation para mencionar algo. Ou o que você acha?





Como tem sido a recepção de "Accusing the Dead" mundo afora?

Cursus Bellum: Bem, como você pode saber, atualmente, toneladas de bandas novas são lançadas todos os meses, com níveis de qualidade muito dispersos, e é difícil superar esse fluxo de lançamentos. Mas, basicamente, todos os que aproveitaram a oportunidade de ouvir "Accusing The Dead" nos deram feedback muito positivos. As críticas que obtivemos em revistas / zines também foram muito positivas. E é bom obter esses comentários de uma multidão muito uniformemente espalhada globalmente, mesmo que não haja tantos ouvintes ainda. Mas estamos confiantes de que ao continuar promovendo o Cursus Bellum e o lançamento, alcançaremos uma boa audiência. Uma maneira de fazer isso será através de shows ao vivo.


Como tem sido a parceria com o selo "Downfall Records"?

Cursus Bellum: Foi muito bom dizer. Muito simples e direto. As coisas aconteceram quando deveriam e muito bom compromisso. Então, somos uma nova banda e eles ainda são um selo pequeno, mas juntos avançaremos.


Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Cursus Bellum: Bem, além das bandas mencionadas acima, ainda gostamos da música com a qual crescemos, como as clássicas bandas de metal e thrash de Iron Maiden a Nuclear Assault. Eu tenho um ponto fraco especial para o antigo estilo alemão de thrash como qualquer banda no antigo selo da Noise. Jocke também está em algum punk, mas nós dois somos grandes fãs da Bay Area e do som de Estocolmo no início dos anos noventa. Ultimamente, o estéreo está lançando alguns DM britânicos como Lucifyre e Sarpantium, bem como Hate Eternal e Cattle Decapitation. Eu também sou muito fã da banda sueca sueca de black metal "Skogen". Ouça-os!


Quais são as inspirações para as composições das letras da banda?

Cursus Bellum: Nós tendemos a levar um assunto que nos interessa e torcer esse assunto até certo ponto. Temos muita inspiração da história, da religião, da filosofia e da política do homem, muitas vezes com uma abordagem apocalíptica. Há também alguma inspiração de outras publicações, bem como homenagens e referências a letras de bandas / artistas sobre as quais nos inspiramos. Então, podemos adicionar algum humor negro.
No caso de Accusing The Dead, obtivemos a inspiração da verdadeira história do "Synodus Horrenda", onde o cadáver apodrecendo do papa Formosos foi exumado e julgado em 897 a.d. Por seus sucessores por várias acusações. Uma história fantástica e verdadeira da loucura fascinante da história religiosa. Daí o tema "Acusando os mortos" e as letras, que também se refletem na obra-prima da capa. Mas, em uma perspectiva mais ampla, pode-se dizer que as gerações vindouras da mesma maneira, em sentido figurado, nos julgarão por nossos atos e a loucura que nos cercam.
Você poderia realmente dizer que as letras nas outras faixas são baseadas em similar, semi-misantropia se você preferir - pensamentos, mas projetados em diferentes contextos.



Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Cursus Bellum: Obrigado pela entrevista e toque alto e brutal!

Você pode descobrir mais sobre nós e ouvir e solicitar nossas coisas nos seguintes links:

domingo, 2 de julho de 2017

Entrevista - Diabolizer (Turquia)

Trilha sonora do apocalipse, da destruição da raça humana em toda a sua ignorância e estupidez. Grande banda de death metal da Turquia, confira a entrevista que fizemos com o Diabolizer.




Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda Diabolizer e quais são os planos para o futuro?

Diabolizer: Hailz from Kadıköy Hell ! 2016 finalmente viu o lançamento de Apokalypse, que foi celebrado com um show infernal em Kadıköy com o  PERSECUTORY. E eu digo isso quando digo infernal, já que tinha cerca de 50 graus de calor no palco, haha. Agora estamos trabalhando em 3 novas faixas para um possível EP ou split.

Quais são suas principais influências musicais?

Diabolizer: Twisted, evil, skull-bashing e Soul-Crushing Death e Black Metal.



Como tem sido a recepção de "Apokalypse" mundo afora?

Diabolizer: O feedback foi bem até agora, recebemos muitos comentários / resenhas positivas.


Como tem sido a parceria com o selo "Third Eye Temple"?

Diabolizer: Excelente. Third Eye Temple é muito bom em termos de contribuição artística, promoção e distribuição. Muito fácil de se dar bem, e até agora não ficamos desapontados.

Quais bandas você tem ouvido ultimamente?

Diabolizer: Atualmente eu estou possuído por bandas como: Hellsodomy, Persecutory, Deus Mortem, Kosmokrator, Sepulchral Zeal, Qrixkuor, Suspiral, etc...


Quais as principais inspirações para as composições das letras da banda?

Diabolizer: Minhas visões que são alimentadas e formadas por tudo o que é odioso, misantrópico e satânico.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

Diabolizer: Obrigado pelo apoio! Mantenha as chamas negras queimando!










sábado, 1 de julho de 2017

Entrevista - The Loom of Time (Australia)

Banda monumental, de refinado direcionamento artístico, ouvir essa banda é uma verdadeira viagem dentro dos mais variados estilos do metal, confira a entrevista que fizemos com a banda The Loom of Time.



Saudações, muito obrigado por nos ceder essa entrevista ao nosso blog "Questões e Argumentos", é uma honra entrevista-los, como foi o ano de 2016 para a banda The Loom of Time e quais são os planos para o futuro?

The Loom of Time: Obrigado pela entrevista! 2016 foi um grande ano para nós, lançamos nosso disco de estréia e tocamos nossos primeiros shows. Começamos a escrever o próximo disco, o que, espero, seja lançado no ano que vem, mas até lá estamos chegando lá e tocando o álbum ao vivo - o que foi o nosso plano desde o início!


Quais são suas principais influências musicais?

The Loom of Time: Em NihilReich, foi definitivamente o Black Metal de Behemoth, Immortal, Emperor, Marduk e Keep of Kalessin, misturado com o doom do Candlemass, o progressivo do Opeth e algumas outras das minhas bandas favoritas, como o Thyrfing.



Como tem sido a recepção de "Nihilreich" mundo afora?

The Loom of Time: A recepção foi muito boa até agora! Graças ao bandcamp.com, nossa música tem fãs nos EUA e Canadá, Itália, Finlândia, Havaí, Alemanha, Suécia, Noruega, República Checa e agora o Brasil! A Internet acabou com muito do que gostamos de ouvir música, mas também é feito para descobrir música muito mais fácil, e com tanta música lá é bom saber que a nossa música tornou o caminho para as pessoas que gostam.


Quais bandas vocês tem ouvido ultimamente?

The Loom of Time: Há algumas coisas excelentes no momento: ouça Khemmis e Dead Quiet, se você gosta de doom, ou Dead River Runs Dry e o ultimo do Dark Funeral para quem gosta de Black Metal. Também estou aproveitando o novo disco do Moonsorrow, Kauan, Enthean e Wode. Apenas lançado recentemente: "Yodh" do Mizmor dos EUA - esse é um ótimo disco também!


Quais são as principais inspirações para as composições das letras da banda?

The Loom of Time: Eu gosto de explorar coisas que muitas pessoas não querem ouvir. Para enfrentar pessoas com coisas que elas ignoram para continuar suas vidas. É por isso que NihilReich se concentrou no niilismo, para fazer a pergunta, por que continuamos atuando como se nossas vidas tivessem sentido, quando a ciência nos mostra o contrário? Eu também me inspirei dos pontos de vista de Nietzsche sobre isso, e como podemos olhar para o que a raça humana pode se tornar se agimos com o futuro em mente em vez de apenas nós mesmos. É muito interessante pensar, e The Loom of Time está apenas filtrando essas idéias através da lente do Death Metal como estética.


Muito obrigado pela entrevista, deixe suas considerações finais e um recado para aqueles que apoiam a banda e leitores do blog, deixe seus contatos.

The Loom of Time: Muito obrigado por nos apresentar! E graças a todos os nossos fãs em todo o mundo - o apoio me inspira a continuar escrevendo e a fazer melhor música. Seja paciente, estaremos de volta!